Voltar 

São muito característicos e conhecidos os costumes das gentes do território de Sernancelhe, região do país muito específica, no carácter, personalidade, hábitos e costumes dos seus habitantes.

São pessoas com características muito peculiares: corados, francos e leais; fortes, receptivos e com sensibilidade; não têm grandes aspirações, mas são sóbrios, decididos e resistentes ao trabalho, sendo também resignados e pacientes.
 
Pelas suas características de pacientes e nada ousados, contentam-se facilmente com o seu “status”, desde que não lhe usurpem algumas das suas regalias.

Excessivamente bairrista, contenta-se com a horta e a leira que o sustentam, com a sua casa, e uma alimentação com poucas proteínas animais. Trabalha no campo do nascer ao pôr do sol, e muito económico em tudo, amealhando durante a vida para oferecer aos filhos. Como tal vive sem sem grandes luxos e alheio a altos confortos.

Mantém-se ainda neste concelho tais usos e costumes tradicionais.

A população é inteligente, e com aptidões para as letras e ciências, como provam os que a elas se têm dedicado; fala-se com considerável correcção e pureza a língua portuguesa, com termos e frases clássicas, cujo vocabulário usual só se explica pela cultura antiga deste povo, transmitida através das várias gerações.

Assim sendo, com esta vida rotineira do dia a dia, também é de possuírem a contrapartida e de quando em quando, de horas de regalo, alegria, convivência, festa, ou seja rituais de vida e de festejo próprios da ocasião do ano em causa.

Discutimos neste trabalho o Carnaval:
tais festejos, outrora consagrados à divindade egípcia Ísis, mas  adquirido dos gregos que os realizavam em honra de Dionísos, um deus do vinho e dos prazeres da carne.

O uso de máscaras que ocorre durante os festejos de Carnaval (em que estas que procuram representar alguém sem ser a própria morte). tem na sua origem um carácter religioso relacionado ainda com o culto dos mortos. Acendem-se fogueiras  são lidas as pulhas e os "testamentos" na queima do judas e outros bonecos.

Perdida que foi a sacralidade primitiva, os festejos chegam até nós pela tradição, despojados de espiritualidade, apenas envoltos em fantasia e divertimento, mas contendo ainda em si os elementos   que o determinaram. 
A tradição trouxe até nós tais práticas que passaram a fazer parte do folclore sernancelhence
Fiz um trabalho em 1999, por acaso em Vila da Ponte com todo o cerimonial de ritual e comportamento humano na terça-feira de Carnaval, que considero um autêntico espectáculo natural e espontâneo, segundo as principais tradições populares e transmitidas, conforme referido, pela antecessora cultura Greco-Românica
                                                                                                                                             António Canotilho

   Voltar