Voltar 

A Inauguração dos acessos ao Santuário de Nossa Senhora das Necessidades
 
Para uma melhor compreensão do interesse e desejo da povoação de Vila da Ponte a um acesso condigno ao Santuário, convém detalhar resumidamente a história

da dita ermida, o interesse estratégico que teve outrora como ponto de vigia; e o grande poder devoto que tem tido sobre a população da aldeia, no sopé do mesmo monte.

Todo o espaço que recheia o Santuário de Nossa Senhora das Necessidades, está envolvido por um maciço de vegetação de pinheiros e castanheiros, que dá beleza e graça ao lugar, e vislumbra-se um panorama formoso com os seus variados acidentes, de perspectiva deslumbrante. Aí passam diante dos olhos, como num filme maravilhoso, vales frescos, alcantis abruptos, colinas suaves, tudo mosqueado pelas  manchas

brancas  da casaria das aldeias, e dos campanários alvejantes das Igrejas e Ermidas a destacarem-se entre árvores dum verde violácio, ou carregado.
O turista ou peregrino que aí vá, decerto irá tirar muitas fotos de recordação, e em breve voltará ao mesmo espaço.
 
Foi século XVI construída a capela de Sª Bárbara e depois mais tarde transformada no pequeno mas gracioso Santuário de Nossa Senhora das Necessidades. Havia ali esculca ou atalaia (ponto de vigia), que certamente seria um ponto de referência para dois castelos fronteiros, o de Caria e Sernancelhe, donde então
 
 partiam sinais de aproximação do inimigo, que eram dados, segundo os usos do tempo, com um facho a arder.

Foi substituída a imagem de Stª Bárbara pela de Nossa Senhora das Necessidades, como titular. Os fieis ali acorriam então com muita devoção depois que foram contruídas umas grutas, que abrigavam as figuras deanacoretas. Ao Abade de Vila da Ponte  ficou-lhe a pertencer a administração do Templo e esmolas (depois de vencidas certas questões com a câmara).
O sonho duma grande instituição religiosa   começou a desfazer-se porque as

esmolas dos fieis foram rareando.
Todavia hoje, vê-se ali um Templozinho, moderno, de muita elegância, visitado frequentemente pelos fieis. A Vila da Ponte
tem nele os seus olhos de crente, porque lá dentro sorri-lhe como consoladora esperança e soberana protectora:
                 "a Nossa Senhora das Necessidades"

Mais tarde foi ali colocado pela câmara um eremitão (mordomo) que guardaria as esmolas dos fieis.

A capela de Nossa Senhora das Necessidades, está erigida num plano retangular, com vedação em cantaria e uma escadaria em lanços amplos e largos. 
O conjunto, com a casa do ermitão e as dependências residenciais, torna-se magnífico e curioso pela situação geográfica e panorâmica.

  Voltar